Poder-fazer

A realidade e o poder estão tão imbricados que insinuar a possibilidade de dissolver o poder é parar diante do limite da realidade. Todas as nossas categorias de pensamento, todas as nossas certezas acerca do que a realidade é, o que a política, a economia ou até o lugar em que vivemos são, estão tão permeadas pelo poder que só dizer ‘Não!’ ao poder nos precipita em um mundo vertiginoso em que não há outro ponto de referência fixo a que se apegar que não a força do nosso ‘Não!’. Entre o poder e a teoria social existe tal simbiose que o poder é a lente através da qual a teoria observa o mundo, o auricular por meio do qual o escuta: pedir uma teoria do antipoder é tentar ver o invisível, ouvir o inaudível. Tentar teorizar o antipoder é penetrar em um mundo totalmente inexplorado”.

John Holloway, Mudar o mundo sem tomar o poder

Alguns artigos de Holloway:

Doze teses sobre o anti-poder

Nós somos a crise do trabalho abstrato

A crise do trabalho abstrato

Classe e classificação

Negatividade e revolução

A reinvenção da democracia

Nosso lugar, nosso tempo

A revolta da dignidade

Zapatismo urbano

O que é a revolução?

Encontrado em Fim da Linha

(dica: acesse a página de textos)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: