Uma ponte estaiada, para poucos e bons

[Tuca Vieira]

Homenagens e recordes

Novo cartão-postal da cidade, a ponte estaiada Octavio Frias de Oliveira, batizada em homenagem ao patriarca do jornal Folha de São Paulo, foi inaugurada no último dia 10 de maio em São Paulo, pelo prefeito Gilberto Kassab e o governador José Serra, em cerimônia abençoada pelo padre católico “popstar” Marcelo Rossi.

[Jorge Araujo]

Os herdeiros da família Frias estiveram presentes para receber a homenagem e agradecer aos governantes por tão merecido reconhecimento, assistidos por autoridades importantes como o deputado federal Paulo Maluf e o secretário municipal das subprefeituras, Angelo Andrea Matarazzo.

José Roberto Marinho representou a família Marinho, das Organizações Globo, cujo patriarca Roberto Marinho já havia sido homenageado, ao emprestar seu nome à avenida que acessa a ponte, “coincidentemente” localizada ao lado da sede paulistana da Rede Globo.

[Marlene Bergamo]

Mas a grande homenageada do dia foi mesmo a indústria automobilística, que no mês de abril atingiu o recorde de vendas de automóveis no Brasil, em toda sua história.

Foi recorde também o congestionamento paulistano na semana da inauguração, atingindo a excelente marca de 266 km de lentidão.

[Tuca Vieira]

A ponte e a avenida, símbolos do inegável poder da mídia corporativa, são parte do ambicioso projeto de “revitalização” da Zona Sul, chamado Operação Urbana Água Espraiada. No projeto, entende-se como “revitalização” uma seqüência de avenidas, túneis e pontes, ao custo de bilhões ainda incalculáveis de reais.

[Kit / CMI]

[André Pasqualini / CicloBR]

Monumento a segregação

Uns tantos homenageados, outros tantos esquecidos: no novo cartão postal da cidade, pedestres e ciclistas estão proibidos de circular.

Mas quem vai pagar mais pela falta de prestígio são as oito mil e quinhentas famílias moradoras de favelas da região, que serão desapropriadas para dar lugar a novas avenidas, túneis e arranha-céus espelhados e, obviamente, para deixar de poluir a paisagem prometida pela especulação imobiliária.

[Henrique Parra / CMI]

Tudo bem, talvez nem todas paguem. Das 8.500, 1.016 famílias contam com a promessa de conjuntos habitacionais populares, ainda sem previsão de data para o início das obras. Mas as outras 7.484 famílias deverão se contentar com o “cheque-despejo” de 5 ou 8 mil reais e fazer as malas para bem longe.

[Henrique Parra / CMI]

[Henrique Parra / CMI]

Essa festa pobre

Não convidados para a comemoração da ponte fria, os que queriam ver pelo que estavam pagando tiveram o atrevimento de fazer sua própria festa sob os olhos brilhantes e famintos do poder.

[pollyrosa]

Ciclistas atravessaram a barreira do consentimento, armando seu piquenique desobediente sobre o asfalto quase fresco.

[Gustavo Escatena / Imagem Paulista]

Uma sexy-pig zombou dos penteados lisos e loiros e das jóias caras, cantando com os amigos:

– Ei xuxu! A ponte é da Daslu!

[Henrique Parra / CMI]

[Valéria Gonçalves]

Alguém sugeriu que se construísse uma pirâmide, onde poderíamos enterrar com orgulho, pompa e circunstância os nossos faraós paulistanos.

[Thiago Benicchio / Apocalipse Motorizado]

Aleluia meu irmão!

Você agora tem o Estilingão!

[Toni / Pedalante]

[Henrique Parra / CMI]

Fotos:
ciclobr
estilo ramy / cmi
henrique parra / cmi
kit / cmi
isaumir nascimento / cmi
luddista
pedalante
pollyrosa

Relatos e fotos:
ciclobr
contraponto e fuga
isaumir nascimento / cmi
o escriba

Notícias:
Inauguração da ponte tem protesto por moradia e ciclovias (G1)
Ponte estaiada é inaugurada em clima de campanha (OESP)
Ponte estaiada Octavio Frias de Oliveira é inaugurada em SP (FSP)
matéria sptv (globo)
matéria em vídeo da Folha de SP

Leia também nesse blog: O custo de uma ponte estaiada

Anúncios

Tags:

7 Respostas to “Uma ponte estaiada, para poucos e bons”

  1. Ciclistas inauguram cartão postal com piquenique em São Paulo « apocalipse motorizado Says:

    […] com fotos: ciclobr contraponto e fuga ecologia urbana gira-me isaumir nascimento / cmi o […]

  2. O custo de uma ponte estaiada « gira-me Says:

    […] Leia também nesse blog: Uma ponte estaiada, para poucos e bons. […]

  3. Weivelmar Viana da Silva Says:

    Isso é uma vergonha para a prefeitura de São Paulo. Já que precisamos
    de projetos para a melhora do transito que atinge km’s e km’s !!!

  4. Erick Aparecido da Silva Says:

    Dentro de uma perspectiva básica, “A Locomotiva Brasileira”, deveria a priori preocupre-se com a “Educação”, longuiquamente com obras desnecessárias, para “dar” um realce na Cidade. Educação é a cheve de tudo, pois sem ela esse processo de “Alienação/Ostentação” irá continuar.

  5. Cavalo de Tróia*, ou as aventuras da Ponte Estaiada « gira-me Says:

    […] Uma ponte estaiada, para poucos e bons […]

  6. Rogério Says:

    Pontes da destruição rumo a São Paulo sem condição, pedestres marginalizados e nos ciclistas teremos de adaptar asas para sair voando por cima dos carros. A BURROcracia é uma merda quero andar de bike debaixo de chuva ou sol. Não sou profeta mas os proximos alvos de Bin Laden serão as grandes montadoras pra que mais carros, né não?

  7. Mozart Gomes Says:

    É isso ai, a cidade pensada para os carros, não para as pessoas, já se mostra um modelo furado, no resto do mundo esse modelo tá sendo mudado, e no Brasil ainda insistindo nessa idiotice, como tá no cartaz: rumo a meta 300 km de engarrafamento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: